é o projeto de instalação fotográfica de Raquel Brust

about Giganto

Giganto
By Raquel Brust

Giganto is a hyper dimensional photography intervention project that uses the urban scene and the city’s architecture as a platform for photographic exhibition.
This panel is a celebration of four years of the project’s existence, which seeks to transform the landscape and change the daily routine. The pictures exposed here today are records of the first actions made by the photographer, where giant indigenous faces where installed on critical parts of São Paulo. Creating an odd dialog with the environment, they generated a reflection about the life in the city and its scary structures. In a second moment, Raquel Brust developed another line of study, looking out in the own installation’s region the character that would become the Gigantos. The subject’s meeting with it’s amplify version it’s always exciting and transforming. Giganto brings faces that are scarfed by life, reveals deep looks that by getting this new dimension are finally seen.
The project is a hybrid result of fields, such as visual anthropology, photography and social communication to transit indifferent fields, such as visual anthropology, photography and social communication, from witch becomes mergeable and allows the articulation of an artistic speech of high political voltage and poetry at the same time.
Giganto emerged in 2008, was awarded by São Paulo’s Secretary of Culture, took part on the Mostra Sesc de Artes (Sesc Art Show) in 2010, on the Generation 00 – the New Brazilian Photography Exhibition in 2011, on the Paraty’s International Photography Festival in 2012 and Foto em Pauta in Tiradentes 2012.
The pictures seek to reflect upon the action of time, about the image’s wear and also about the environment that they are attached. Giganto brings faces that are scarfed by life, reveals deep looks that by getting this new dimension are finally seen.

__________________________

Giganto é um projeto de intervenção urbana com fotografias hiper-dimensionadas da fotógrafa Raquel Brust.  A idéia é experimentar uma exposição fotográfica que interage com os cidadãos, e reage à arquitetura da cidade.

_

O projeto consiste em apresentar imagens ao cenário do cotidiano, utilizando espaços públicos como plataformas de exibição fotográfica.
As fotografias procuram estimular o diálogo entre o cidadão e a paisagem que está inserido. Buscam ativar sua relação de responsabilidade com a cidade e valorização do ser humano. Essas instalações dialogam com o cenário urbano e convivem com as pessoas, levando-as a reflexões sobre a imagem que está sendo apresentada e seu significado no contexto que está inserida. A fotografia possui linguagem universal, mas provoca sensações particulares. Sua eficiência se dá por essa relação entre objeto e expectador, entender isso é uma das metas do trabalho.

As fotografias deste projeto, são símbolos que passaram pela lente da fotógrafa multimídia Raquel Brust, de 30 anos. As imagens captadas retratam faces cheias de força, personagens do mundo que expressam toda sua vida no olhar. Pessoas que nunca viram a cidade como nós vemos todos os dias: senhoras do interior do Brasil, índios nas margens do Rio Negro, árabes de um oriente distante, etc. são deslocados de suas paisagens e mensagens originais para esse novo e intrigante contexto. Pessoas que passaram a vida em um local da cidade e por um momento se tornam parte das paredes, constituem a arquitetura, revelando a potência de cada um no todo. Eles se tornam imponentes gigantes, se deslocando da aglomeração para uma hiper realidade inventada.

Inaugura-se assim, um novo significado, uma nova vida na “cidade caos”, um ato efêmero, uma felicidade de papel. Paisagens recriadas, transeuntes transportados a praia, levados para a selva de pedras, novas estradas surgindo no final da rua. Não há limites para os Gigantos, é liberdade fixada na parede.

_

Em 2008, o projeto foi premiado pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, no ProAC 2008 de Artes Visuais. Este prêmio viabilizou mais de 30 instalações em diversos bairros da cidade de São Paulo, e uma exposição na Galeria Emma Thomas em dezembro de 2009. Em agosto de 2010, Londres recebeu dois Gigantos, um em Old Street e outro em Whitechapel.

No final de 2010, o projeto participou da Mostra Sesc de Artes 2010. Foram mais de 80 metros cobertos com papel. As fotografias analógicas e digitais foram feitas no bairro Santo Amaro, com pessoas e paisagens locais. O bairro que durante muito tempo foi uma cidade independente, exibe em suas ruas o convivío entre passado e futuro. Encontrar e conviver um pouco com essa história foi tocante.

No início deste ano, a fotógrafa participou da exposicão Geracão 00 – A Nova Fotografia Brasileira, com curadoria de Eder Chiodetto, no Sesc Belenzinho. Foram quatro instalações, quatro personagens e quatro histórias. É possível apreciar o diálogo silencioso entre as obras, com olhares profundos cheios de ternura e mãos que recebem e assustam. São sobre tempo, medo, espera, alcance, carinho, e muitos outros sentimentos esperando despertar.

Em setembro foi a vez do Paraty em Foco . A instalação aconteceu ao lado da Igreja NS do Rosário, no Centro Histórico de Paraty. As fotografias foram especialmente captadas para compor o painel de quase 30m de comprimento. Composto por faces fortes, por mulheres marcadas pelo tempo que dialogam com as questões inerentes à existência. Nossa imagem como uma passagem. Caminhando em direção ao futuro de olhos fechados.

Em março deste ano, O Giganto se aliou ao coletivo UaiPhone para realizar uma ação no Festival Foto em Pauta, na cidade histórica de Tiradentes, Minas Gerais. A idéia foi realizar um Giganto totalmente produzido com Iphone – ferramenta que dá nome ao coletivo. Novamente instalado ao lado de uma igreja, este Giganto lida com a memória e sua materializacão. Os retratados foram dois dos senhores mais antigos da cidade. João Passarinho traz em sua sala suas memórias impressas, seu passado de fotografias pintadas a mão, pequenos registros de uma vida tão longa. Já Tião da Gaita revela suas composições que servem de canal para suas lembranças áureas dos tempos do rádio. Cada um apegado as suas lembranças, e eles Gigantos a esperar.

.

AGRADECIMENTOS

O maior e eterno agradecimento é a todos que aceitaram ser fotografados! A doação desse ato é intensa, e a troca inesquecível. Suas faces e esses fragmentos de vida fazem parte da minha existencia e dão sentido a ela. Muito obrigadada pela simplicidade e sinceridade dos momentos que vivemos juntos e se desdobraram em memórias e novas histórias. Agradeço também aqueles que cederam seu espaço e nos receberam em suas casas! O carinho de todas essas pessoas me emociona por sua compreensão e altruísmo.

Agradeço também, ao curador Eder Chiodetto por confiar no meu trabalho. A toda a equipe do Sesc São Paulo que valoriza e apoia o Projeto Giganto. E a organização do Paraty em Foco e do Foto em Pauta.

Este projeto é dedicado a minha avó Wally Brust, que ainda não virou um Giganto mas pra mim ela é a maior!

.
QUEM FAZ

O projeto foi criado e é coordenado por de Raquel Brust, porém é um projeto que envolve muitas pessoas e vc também pode contrubuir! Envie sua foto para projetogiganto@gmail.com e participe da galeria colaborativa que estamos montando!!!!

Muitos amigos já estiveram envolvidos em diferentes partes do processo, e sem essa ajuda o Giganto não existiria. Gostaria de agradecer o apoio da Produtora Cultural In Brasil; da produtora de documentários Outros Filmes, do cineasta Otavio Cury;  do co-criador e designer do projeto Bruno Siqueira;  do Coletivo Uai Phone; da Bruk Social Media; da grande amiga e braço direito Lena Maciel; do apoio de Mariana Guimarães, Mariana Baldi e Marcelle Governatori; da artista plástica Luisa Ritter; dos fotógrafos Gustavo Vargas, Bruno Figueiredo e Guilherme Thiesen Netto; do videomaker Pedro Bayeux; da artista Carina Levitan; das produtoras Caroline Reis e Vivi Reis e tantos outros amigos que acompanharam de perto ou de longe as colagens!
A equipe do Giganto é grande, e inclui também o paciente técnico de impressão, meu querido Dimas! E claro, o Giganto tem seu grande mestre, guru espiritual e especialista em lambe-lambe: meu amigo Vassoura, que sempre traz um pessoal guerreiro pra colocar a mão na cola. Valeu pela garra galera!

.

PARTICIPE

vc também faz o Giganto! deixe seus comentários, dúvidas e críticas aqui no blog! Compartilhe nosso trabalho em suas redes sociais! E se tiver alguma foto com os Gigantos, envie pra gente no e-mail projetogiganto@gmail.com! Estamos montando uma galeria colaborativa! vai ser muito legal ver o que eles despertaram em você!!

//www.facebook.com/plugins/likebox.php?href=http%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fplatform&width=192&colorscheme=light&show_faces=true&border_color&stream=false&header=false&height=258

6 Respostas

  1. Bacana! Parabéns pelo projeto!

    01/03/2011 às 00:42

  2. Priscilla Kern

    Parabéns Raquel!Simplesmente demais!Lindo e muito sensível!

    27/04/2011 às 22:13

  3. irado. parabéns pelo trabalho. felicidades!!

    22/05/2011 às 02:09

  4. trabalho muito bonito!
    queria eu encontrar um giganto pela rua =]

    16/07/2011 às 22:54

  5. Pingback: Isso que é projeto de memória 2.0. “Todos somos giganto” | Pollyanaferrari's Blog

  6. vanda laiz dos santos roberto

    Achei o máximo. Minha mãe participou e me avisou sobra a foto emprestada. Gostaria de visualizar o resultado dentro do projeto. O nome de minha mãe é Herminia de Oliveira Campos. Obrigada e parabéns pelo trabalho.

    17/09/2013 às 22:25

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s